Hit Me Baby One More Time


 


As pessoas mostram sempre o que são, mesmo quando o tentam disfarçar.
Nós sabemos, mas gostamos de nos enganar, ignoramos as luzinhas e sinais de alarme. No final dizemos sempre “eu bem que desconfiava!”.
Porque é que fazemos isso? Não sei, não vejo qual a recompensa ao persistir nesse tipo de comportamento, continuando a investir em relações (amizade, amorosas, familiares) sabendo que é a fundo perdido.
Felizmente, nas histórias tristes de amor, há sempre alguém que consegue aliar os comportamentos destrutivos de mulheres com óculos mal graduados, boa música e a voz soberba da Etta James.

13 comentários:

Jack Merridew disse...

True love will find you in the end!

Apeteceu-me dizer isto.

Nawita disse...

These pretzels are making me thirsty.

Apeteceu-me dizer isto.

Nawita disse...

Not if I find him first..
também ficaria giro, lembro-me da melhor resposta tarde demais.

Isa disse...

Li em qualquer lado, que eu seria incapaz duma tirada destas, que nos deviamos concentrar nas convergências e não nas divergências ( não é bonito?).
Às vezes não são elas que tentam disfarçar, somo nós que teimamos em ver pelo que gostariamos que fosse.
Se o nosso instinto diz pra continuarmos a investir apesar dos sinais todos, pode ser também porque os sinais, sejam daqueles, "plantados" aleatoriamente. As nossas estradas estão pejadas disso...


Estou cheia de fome! hj o jantar é risoto de salmão:))

Nawita disse...

Isa,
É lindo sim, e também tu serias capaz de dizer algo do género.
O ser humano tem muito tempo para perder e gosta de tragicomédias, deve ser por isso que gosta de empregar o seu tempo com negativismos.
É verdade que a maior parte do tempo somos nós que nos iludimos, porque alguém tem um sentido de humor que nos agrada, ou porque um dia disse uma frase profunda, ou deu uma esmolinha, acabamos por construir uma imagem completamente idealizada dessa pessoa. Depois quando fazem algo que foge à ideia que nos fazemos delas, ficamos desiludidos.
Se o nosso instinto nos diz para continuar a investir, aí temos que parar e ver de onde vêm os sinais e porquê e ver se vale mesmo a pena, creio que o tempo e a experiencia nos ensina a ver se vale mesmo a pena continuar e arriscar.
Sim, por vezes os sinais aparecem por nossa causa, porque já tivemos más experiencias e no fundo temos medo que nos volte a acontecer.
Nada me mete mais medo do que o próprio medo e consequente paralisação.

Risotto de salmão, soa-me muito bem. A mim apetece-me um de trufas.

Ouviste a música? Não adoras a forma como algumas pessoas transformam a dor em algo de maravilhoso?

Isa disse...

Ouvi sim senhora e acho até que as melhores músicas são escritas por gente nessas condições.


Por exemplo: La bomba ( king Africa). Quem, que não de alma dilacerada, é capaz dum lírico daqueles?

Nawita disse...

ah ah ah ah ah
estou a ouvir isso agora. tive que googlar!

ah ah ah ah ah ah
então e o Juanes com a sua Mala Gente ? aquele ritmo para dançar enquanto fala dar que o rasga?

Rei da Lã disse...

E os empregados que não têm o 12.º Ano, também terão de tirar curso de analfabeto?

Nawita disse...

Rei,
esses continuam como estão. mas seria bom seguirem uma formação contínua... de analfabetos, claro.

A disse...

these pretzels... are MAKING ME THIRSTY!!


o inferno são sempre os outros, rais los parta.

Nawita disse...

Calma, Vogal, bebe um copo de água.

Pois é, mas para nosso consolo, ele também ardem na nossa indiferença, intolerância, egoísmo, só por que sim ismo....

isto está mau, mas felizmente está mau para todos :p

Vani disse...

Quem é que te desiludiu?? diz-me, parto-lhe as trombas.

(só espero não ter sido eu, preciso das minhas trombas, são a minha imagem de marca, já viste se com o murro ainda endireito o dente torto?)

Nawita disse...

Vani,

a única pessoa que me pode magoar a sério sou eu, mas não sou a favor de tareias e também preciso das minhas trombas.

Não tentes essa dos murros, se funcionasse os dentistas já tinham ido à falência.